DIA DO ARTISTA PLÁSTICO COM JOSÉ ROBERTO AGUILAR E CONVIDADOS

aguilar andrejung

 

 

André Jung, Ricardo Villas Boas e o norte americano Simon participam das comemorações do Dia do Artista Plástico na FUNCARTE

 

O pintor, escultor, performer e artista multimídia José Roberto Aguilar é o convidado da Fundação Cultural Capitania das Artes para as comemorações do 8 de maio, Dia do Artista Plástico. A apresentação de José Roberto Aguilar acontece no terraço da Fundação Cultural Capitania das Artes, a partir das 17h.

Tradicionalmente no dia 8 de maio se comemora o Dia do Artista Plástico. A data foi criada em 1950 e tem origem na homenagem ao pintor José Ferraz de Almeida Júnior (1850/1899)

José Roberto Aguilar estará participando do Encontro dos Artistas Plásticos ao lado de artistas potiguares e depois acontece uma apresentação “músico-performática” chamada “Desconstrução”.

Haverá também o lançamento de dois livros contando os 50 anos de atuação de Aguilar e também a pintura de duas obras durante o show, que terá a participação de André Jungmann e de Ricardo Villas Boas.

O artista plástico e músico norte-americano James Simon também participa do evento tocando violino.

 

Sobre José Roberto Aguilar

O paulistano José Roberto Aguilar já participava da vida cultural brasileira através do movimento Kaos, manifestação vanguardista de Jorge Mautner que incluía sessões de poesia, literatura e performance. Em 1961, realiza sua primeira exposição. Em 1963, é selecionado para a Bienal Internacional de São Paulo. Em 1965 junto com outros artistas nacionais e internacionais ( Hélio Oiticica com os Parangolés) participa da famosa mostra OPINIÃO-65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Em 1967, recebe o Prêmio Itamaraty na Bienal de São Paulo, onde volta a expor em 1969.

Durante a agitada década de 60 centraliza sua ação no atelier que possuía na Rua Frei Caneca, frequentado por grande parte dos responsáveis pela renovação política e cultural por que passava a vida brasileira. Na virada dos anos 70, é um dos criadores que se vê obrigado a viver no exterior. Morou em Londres, realizou exposição em Birmingham. Retorna ao Brasil em 1973, faz exposições no Rio e em São Paulo.

Entre 1974 e 1975, vive em Nova York, USA, onde começa a realizar um trabalho pioneiro de vídeo-arte. Convidado para a Bienal de São Paulo em 1977, realiza a peça performática Circo Antropofágico, com doze monitores de vídeo no palco. Recebe o Prêmio Governador do Estado. Em 1978, participa de vídeo-performances no Beaubourg em Paris e no Festival de Vídeo-Arte de Tóquio. Em 1979 expõe novamente na Bienal de São Paulo.

 

Sobre André Jungmann

 

Andre Jungmann fez parte da primeira formação dos Titãs gravando o primeiro álbum da banda, de 1983. Entrou para o Ira! em janeiro de 1985. Gravou bateria e percussão em todos os 13 discos da banda, até sua dissolução em setembro de 2007. Durante esse período também veio a gravar três DVDs com o grupo (2001, 2004 e 2007) e excursionou tocando nos mais importantes festivais do Brasil.

Em 1988, como produtor, realizou o primeiro álbum de um artista do Hip Hop brasileiro; “Pergunte a quem conhece” disco antológico de Thaíde e DJ Hum, dois anos depois produziu “Hip Hop Na Veia” o segundo álbum da dupla. Gravou bateria e percussão com vários artistas brasileiros como: “Akira S e as Garotas Que Erraram”, “Nasi e os Irmâos do Blues”, “G.U.E.T.O”, “Nação Zumbi”, “Edgard Scandurra”, “Stevens” e Thomas Jay.

Andre também trabalha como cronista especializado em automobilismo. Já escreveu artigos sobre o tema na “Folha de S.Paulo”, comentou, ao Lado de Edgard Mello Filho, corridas de Nascar na Rede Manchete e participa com freqüência de programas de TV para falar de automobilismo.

 

 

Sobre Ricardo Villas Boas

Ricardo Villas Boas é violonista, baixista e compositor. Paulistano, vem atuando no cenário musical compositor e instrumentista desde 1980 onde participou de várias bandas, entre elas, Bom Quixote ao lado de Paulo Miklos,Fernado Salém, Beto Freire,e Tuba. Banda Performática ao lado de José Roberto Aguilar, Arnaldo Antunes e Lanny Gordin ,entre outros.Fuzuê ao lado de João Arruda,Alaor Soares e Banda Zero.

 

 

Dia do Artista Plástico, 8 de maio

Local: Varanda da Fundação Cultural Capitania das Artes

Horário: 17h

Atrações: José Roberto Aguilar, André Jungmann, Ricardo Villas Boas e Simon.

Entrada franca

 

Para entrevistas: Flávio Freitas (9984-4223)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *