ENCONTRO DE DANÇA, NO TEATRO RIACHUELO, É ATRAÇÃO DESTA QUARTA ATRAVÉS DA LEI DJALMA MARANHÃO

09-08

A grande pedida cultural em Natal para esta quarta-feira (9) é o 10º aniversário do projeto Encontro de Dança, que conta com recursos da Prefeitura do Natal, através da Lei Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura. A apresentação do espetáculo Lub Dub (Balé Teatro Castro Alves-BA) começa às 20h e tem entrada franca.

Com criação do dançarino, coreógrafo e compositor sul-coreano Jae Duk Kim, a coreografia é uma intensa alternância de movimentos de tração e estremecimento, dinamismo e relaxamento, ritual e contemporâneo.

Dez dançarinos em cena têm a percussão como motivação sonora e física. A estrutura coreográfica se desenvolve pelas características peculiares do coreógrafo: ele oscila do silêncio absoluto à vertigem, em questão de instantes, sempre em estreita relação com a trilha sonora.

O próprio Jae Duk Kim assina a trilha, que tem como base instrumentos percussivos das culturas oriental e ocidental, efeitos incidentais, canto e sons ao vivo.

O curioso nome do espetáculo é uma referência ao som das batidas do coração. Para a medicina, os dois primeiros (ou principais) sons cardíacos são denominados ‘lub’ e ‘dub’, que representam a bolha produzida pela abertura e fechamento das válvulas que permitem a passagem do sangue. Assim, o título é uma metáfora dos sons e batidas da vida, da própria humanidade e sua energia vital, que motiva e sustenta o movimento do corpo: o corpo que pulsa, medita, protesta e luta.

O 10º aniversário do projeto Encontro de Dança também tem apresentações em Parnamirim. Confira programação em www.encontrodendanca.com

 

 

 

20H | TEATRO RIACHUELO

ABERTURA OFICIAL

 

LUB DUB – BALÉ TEATRO CASTRO ALVES (BA)

Coreografia: Jae Duk Kim

Sinopse:

Para a medicina, LUB e DUB é a denominação dada aos sons do coração produzidos pela abertura e fechamento das válvulas que permitem a passagem do sangue. LUB e DUB tornam-se assim metáforas do som da vida.

A coreografia tem a percussão como motivação sonora. Utiliza características peculiares do coreógrafo Jae Duk Kim: a estrutura coreográfica cíclica e a fluidez de inúmeros ciclos, que se desenvolvem simultaneamente e alternam movimentos de tração, estremecimento e reverberação, intercalados a desenvolvimentos dinâmicos e estados de relaxamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *